Anta de Vilarinho da Castanheira (Anta da Pala Moura) (Carrazeda de Ansiães) (*)

Em Carrazeda de Ansiães existem duas antas que merecem a nossa visita: a Anta de Vilarinho da Castanheira e Anta de Zedes.
São raras as antas com boa qualidade turística no Distrito de Bragança, ao contrário de outras manifestações pré-históricas como os muitos povoados pré-românicos, alguns verdadeiramente notáveis, também em muito pela sua paisagem amiúde associada ao rio Douro. São exemplos:
-O Castro de Vale da Águia (Miranda do Douro) (*);
-São João das Arribas (Miranda do Douro) (**)
Para conhecer melhor o que é uma anta e o seu significado aconselho a leitura de:
-Anta-capela da Alcobertas (Rio Maior) (**)
-Anta-capela da Senhora do Monte (Penedono) (**)
-Anta da Arcainha (Oliveira do Hospital) (*)
-Anta do Cortiçó (Fornos de Algodres) (*)
-Anta do Tapadão (Crato) (**)
Carrazeda de Ansiães tem o seu património notável bem divulgado na internet e é do site do Centro de Interpretação do Castelo de Ansiães que retiramos o texto sobre a Anta de Vilarinho da Castanheira que colocaremos quase integralmente e apenas com ligeiras alterações.
“A anta de Vilarinho de Castanheira, de grandes dimensões, também conhecida como Pala da Moura, insere-se numa tipologia frequentemente observada na arquitectura funerária megalítica.

Esta anta, que já não apresenta qualquer vestígio da sua mamoa, estrutura-se com uma câmara poligonal composta por oito esteios onde se inclui a laje de cabeceira. Possui ainda a tampa e um corredor orientado a nascente. Desse primitivo corredor é possível observar quatro megálitos aparentemente ainda in situ.
 Na parte interna de um dos esteios pode-se percepcionar ténues vestígios de uma primitiva composição pictórica.
Próximo deste monumento existe ainda um moinho recuperado e integrado na sua paisagem original. Este é mais um motivo que poderá complementar a sua vista.”
Créditos Fotográficos: Apesar de ter colhido fotografias da Anta de Vilarinho da Castanheira decidi colocar a do amigo Jorge Delfim que com o seu “cantinho” muito tem tentado ajudar o distrito de Bragança.
Agradecimentos: O Portugal Notável esteve alojado n magnífico alojamento rural do Casal do Tralhariz (Castanheiro-Carrazeda de Ansiães) e visitou a Anta de Vilarinho da Castanheira, a convite deste ótimo Hotel Rural que apoia o turismo cultural.

2 comentários Anta de Vilarinho da Castanheira (Anta da Pala Moura) (Carrazeda de Ansiães) (*)

  1. Jorge Delfim says:

    Antes de mais parabéns, por este trabalho magnífico do PortugalNotável.
    É de facto verdade, são poucas as antas no distrito de Bragança que se encontram em bom estado de conservação. Esta do Vilarinho da Castanheira, bem como a de Zedes, que também faço referencia no meu blogue, encontram-se em bem preservadas. Já não se passa o mesmo em Sampaio – concelho de Vila Flor, com a anta de Nossa Senhora da Rosa, que se encontra em completo abandono (http://cantinhodojorge.blogspot.com/2010/06/sampaio-anta-de-n-s-da-rosa.html).

    Obrigado, por terem darem preferencia, a esta foto da minha autoria, relativa à anta do Vilarinho e por terem feito referencia ao meu Blogue “O Cantinho do Jorge – À Procura do Nordeste Transmontano”, esse cantinho que é o Nordeste Transmontano, onde há tanta coisa bela para descobrir e dar a conhecer.

    Cumprimentos

    Jorge Delfim

  2. Portugueses:A invasão da linha do Tua,PATRIMÒNIO DO ESTADO,é um crime.Como tal o chefe de distrito da estação do Tua levantava AUTO DE NOTICIA á EDP e enviava para tribunal.Um pequeno pormenor,a barragem de Alqueva a maior da Europa,tem de cota 152m,a do Tua vai ter calculem 170m!Se a cota abaixo da linha não era sufeciente,não construiam a barragem assassina.Não comparem a RAINHA DAS LINHAS,de Portugal,com a barragem !A linha tem servido ao longo de mais de 100anos as populações de 34 localidades,e de todo o Portugal,enquanto a barragem pode pruduzir 0,6% de eletricidade,que não dará para alimentar tres ou quatro aldeias,é uma gota de água no rio Tua.Déz reis de eletricidade.É bom não esquecer que ainda a procissão vai no adro já partiram uns quantos operários para o jardim do paraiso,e não encerram a barragem,como fizeram á linha do Tua.Devem começar a renovar a linha com travessas de berão,a partir da estação do Tua,e quem levou os carris obrigado a colocálos na linha.A VIDA DUM OPERÀRIO NÃO TEM PREÇO.Com travessas de betão a linha oferece uma segurança quási máxima.Se as cidades,vilas e aldeias,pouparem perto de 50% de eletricidade nas vias publicas e repartições,não são precisas mais barragens.Os rios de Portugal,devem estar todos entaipados com cimento e ferro.O COMBÒIO È O TRANSPORTE TERRESTRE MAIS SEGURO,CÒMODO.ECONÒMICO,NÃO POLUENTE E MAIS RÀPIDO NO MUNDO PARA O TERCEIRO MILÈNIO.OS combóios em Espanha e Portugal,são os mais seguros no Mundo.FIM.Ex chefe de estação e de combóios da Estrela de Èvora.Mauricio Arrais.Abrantes.8/3/2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>