Castelo, paisagem e pinturas rupestres em Penas Róias-Templários no Nordeste Transmontano

De fundação templária mandado construir por Gualdim Paes, Mestre da Ordem, no fim do reinado de Dom Afonso Henriques, o Castelo de Penas Róias fazia parte do sistema defensivo do Nordeste Transmontano que inclua os castelos de Mogadouro, castelo de Algoso (***), Vimioso, que formavam uma linha defensiva defronte ao adverso reino de Leão.
O castelo de Penas Róias era simples e pequeno, com uma muralha e 4 cubelos aos ângulos e uma esguia torre de menagem quadrada com 5 metros de lado um pouco irregular, assente de forma a aproveitar o embasamento quartzítico. A torre de menagem, muito esguia e com 3 pisos, hoje um pouco arruinada ainda serve de sentinela a pequena aldeia de Penas Róias que a ladeia a Este, pequena povoação chegou a ser sede de concelho. A porta de entrada da Torre está a 6 metros do solo e era acedida por uma escada de madeira, amovível. No seu lintel, inscreve-se a cruz pátea templária e uma inscrição epigráfica da época da sua fundação.

Em 1509, o escudeiro de Dom Manuel I, Duarte d´Armas desenhou o castelo de Penas Róias com grande mestria no seu Livro das Fortalezas.
Pinturas rupestres em Penas Róias
O nome de Pedras Róias pode ser atribuído à cor das rochas avermelhadas dos possante afloramento quartzítico ou ainda ser devido as pinturas de arte rupestre com representação de pinturas em ocre vermelho. A Sudeste do castelo de Penas Róias num abrigo quartzítico, existe um conjunto de representações esquemáticas de figuras humanas pintadas. As representações antropomórficas mostram no lugar da cabeça aquilo um adereço ritual. Eu tentei descobrir as pinturas mas não consegui, talvez me faltasse argúcia visual para tal, mas ficará para uma próxima vez, porque Penas Róias não se esquece e é um local a que se volta sempre.

A paisagem é magnífica do Castelo de Penas Róias
Ao fundo descortina-se outro local fantástico – o Castelo de Algoso, por cima da mesma crista quartzítica que vai serpenteando ao sabor das fúrias tectónicas; mas também se avista as serras de Bornes (**), Nogueira (***), do Reboredo…enfim um regalo para os sentidos. Tranquilidade, beleza paisagística e um pouco de história templária. Que mais podem os viajantes pedir?
Agradecimentos: O Portugal Notável esteve alojado no Solar dos Marcos (na Bemposta) e visitou o Castelo de Penas Róias a convite deste ótimo Hotel Rural.
Coordenadas GPS: Lat 41º17´32.05N Long 6º30´15.07´W
Acesso: EN 219 de Mogadouro para Vimioso durante 7 km e vira-se depois à direita para EM percorrendo cerca de 3 km.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>