Castro de Vale da Águia (Miranda do Douro) (*)-Tempos de guerra no Planalto Mirandês?

Depois de termos descrito as Arribas de São João em Miranda do Douro, passemos agora ao Castro de Vale da Águia, próximo daquele, mas menos conhecido, mas também empolgante.
O Castro de Vale da Águia localiza-se a 680 m de altitude e encontra-se protegido por um meandro magnífico do rio Douro; alias a falésia deste lado é inexpugnável. Aqui o granítico canhão fluvial vai servindo de fronteira entre Portugal e Espanha.

O Castro de Vale da Águia com uma área de 1,5 ha e de feição aproximadamente quadrada é constituído por uma muralha de granito, que cobria só os lados não defendidos pelas falésias do Douro, estando reforçada por dois bastiões circulares. Diante dela, havia três campos de pedras fincadas, dos quais se conserva bem ainda um, flanqueando a porta de entrada do castro. O material recolhido indica uma ocupação na Idade do Ferro. Durante a ocupação romana o local deve ter sido abandonado, no entanto a existência de uma estrada medieval próxima pode permitir inferir que o local foi tendo alguma importância estratégica porque perto passa a estrada medieval Porto/Miranda/Zamora/Valladolid.


Tempos de guerra no Planalto Mirandês?
Entre o 4º milénio e o 1º milénio a.C., os povoamentos estavam instalados no Planalto Mirandês, mas algo aconteceu e a partir do Bronze Final, e durante toda a Idade do Ferro, até a vinda dos romanos, os povos tiveram uma necessidade premente de ocupar intensamente as margens abruptas do Douro para estarem melhor protegidos de ataques beligerantes, com forte reforço de cercas defensivos nas zonas mais frágeis. A vida seria mais hostil mas mais segura. O que temiam estes homens que passaram a habitar inóspitos incastelamentos castrejos?
Assim uma linha de muitos castros, de reduzida dimensões, instalados magnificamente numa grandiosa paisagem telúrica, bordeja o rio Douro, em ambas as margens (o grande castro nesta região seria o de Cidaguenha em Picote-que ainda não visitámos). O rio Douro, já neste tempo servia de fronteira entre os povos dos Zuelas na margem portuguesa, e a dos Vetões no lado Espanhol, ambos adoradores de Berrões.
Que a nossa imaginação se agite perante tanto mistério bélico e beleza paisagística. O que terá aqui acontecido no primeiro milénio a.C?
Agradecimentos: O Portugal Notável esteve alojado no Solar dos Marcos (Bemposta-Mogadouro) e visitou o Castro Vale da Águia, a convite deste ótimo Hotel Rural que apoia o turismo cultural.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>