Cava de Viriato (Viseu) (*)-Um dos grandes enigmas da arqueologia portuguesa

A Cava de Viriato é um dos grandes enigmas da arqueologia portuguesa porque não se sabe a data da sua construção nem tão pouco a sua origem.
É um octógono perfeito com cerca de 8 ha, que era constituído por um talude de terra com mais de 2 km de perímetro com fosso. A trincheira possui de altura, desde a base do fosso até ao topo entre 9 a 15 m, e na parte interna entre 3 a 6 m. Apenas se mantêm os taludes de quatro lados do polígono, arborizados e com o topo transformado em passeio com lajes de granito espaçadas e que constituem um perigo para os passeantes torcerem um pé.

A Cava de Viriato tem sido sujeita a muitas destruições, mas o perímetro é ainda reconhecível. Os fossos em redor estavam ligados ao rio Pavia e à ribeira de Santiago e dentro do recinto existiam diversos poços e cisternas de armazenamento de água.
Qual é a origem da Cava do Viriato?
A investigação arqueológica, que tem sido escassa – ainda não esclareceu a sua origem, porque os achados foram insignificantes (apenas um denário de 40 a. C. e um fragmento de tégula).

Apesar da inexistência de uma planimetria romana, crê-se que tenha sido um acampamento militar romano, cuja construção tenha ocorrido por volta de 48 a.C., e segundo Jorge Alarcão, para acolher as legiões de Cássio Longino.
Para além da origem romana, foi-lhe atribuída uma origem muçulmana, materializando uma fortaleza, que rodeava uma cidade acampamento a semelhança do que sucede em Samarra no Iraque.
E porque não estarmos em presença de uma grande estrutura votiva, do tipo dos recintos de fosso e lomba (ditched enclosures) que se encontram nas ilhas britânicas e que não existem em Portugal? Obviamente que não existe qualquer prova, mas também o que representa um denário como testemunho romano?
É um monumento que pode também ter tido uma função geodésica- no centro de Portugal, no centro geográfico do Norte da Lusitânia, no centro de cruzamento de caminhos.
Monumento a Viriato
No século XVI surgiu a tese de que terá existido aqui um acampamento de Viriato, em resistência à invasão romana. Não existindo prova do facto a ideia foi no entanto difundida pelo Estado Novo, e na zona da Cava virada para o morro da Sé, junto a praça de São Mateus, foi feito um monumento de boa qualidade a Viriato.
Foi construído por um Espanhol, Mariano Benliure em 1940, e é formado por cinco estátuas de pastores muito expressivas com os seus esgares, rodeando o Viriato. As estátuas são em Bronze e assentam em pedras graníticas, a evocar a rudeza da serra da Estrela, onde se diz que a resistência foi mais eficaz. É um bom monumento e é um dos ícones Viseu.
A Cava de Viriato foi recentemente requalificada ao abrigo do programa Polis e enquanto não se faz uma grande intervenção arqueológica, sabe bem passear aqui, a sombra deste denso arboredo, com o enigma a atiçar a nossa imaginação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>