Dornes (Ferreira do Zêzere)- Insólita torre templária na paisagem

Dornes Templária

Dornes é uma pequena povoação, ancorada num esporão sobre a albufeira da Barragem de Castelo de Bode no rio Zêzere. Pela sua posição a povoação tem um impacto paisagístico interessante; para além deste motivo, outros dois reclamam a sua visita: a torre medieval templária e a sua igreja matriz.
Dornes teve pelo menos ocupação romana e é o que resta de uma vila que já existia no século XII, que foi respectivamente de Templários, passando destes para a comenda da Ordem de Cristo. Dom Manuel concedeu-lhe foral em 1513.
A sua torre medieval possui planta pentagonal, uma rara solução em Portugal, e é construída por xisto (a rocha da região), calcário (principalmente nos cunhais) e alvenaria miúda.
A origem da torre deve ser romana, como é visível numa epígrafe no interior da torre quase inteligível (que nós não vimos por esta estar fechada). Aliás como se pode observar pelo alicerce a torre assenta sobre a base de outra torre mais larga, que eventualmente poderá ser romana, embora nada nos garanta tal.

Torre templária de Dornes

Torre templária de Dornes

A torre serviu de atalaia templária como se depreende pelas estelas funerárias depositadas no seu interior e por se situar na mais importante região templária de Portugal; perto encontra-se um dos monumentos templários mais importantes da humanidade-o Convento de Cristo em Tomar (*****) classificado como Património Mundial da Humanidade e o castelo de Almourol (***) uma das sete maravilhas de Portugal (em votação popular). Também no concelho de Ferreira do Zêzere se encontram vários locais que plasmam a sacralização do território da ordem e das suas preferências litúrgicas e cultuais: Espírito Santo, Senhora do Ó, Santa Catarina, Santo António, São Silvestre, São Pedro de Castro (este local deverá merecer uma vista nossa em breve), São Miguel, Santa Maria… Aqui perto situa-se as ruínas da Torre do Ladrão Gaião ou Langalhão, relacionada com lendas de gigantes, tão associadas ao templarismo (outro sítio a merecer a nossa atenção e que não visitamos).

Acede-se ao interior da torre de Dornes por uma porta situada a meia altura, indício da sua anterior utilização militar, encontrando-se no interior da verga da porta em pedra calcária, uma epigrafia curiosa, com dois escudos, um dardo e uma lança de origem ignota.
A torre serve hoje de imponente sineira à igreja matriz que lhe é vizinha, fruto de adaptação no tempo do rei Dom Manuel.

No dia da nossa visita, o Sol já se ia recolhendo e nem nos foi possível visitar a igreja de Dornes, com fundação ligada a Rainha Santa Isabel, provavelmente em 1285, que dizem bonita pelo seu recheio e em que se destaca os azulejos, o órgão de tubos ibérico, as imagens de pedra de Nossa Senhora do Pranto uma Pietá)- padroeira da freguesia e considerada milagrosa e que tem uma lenda associada a si (ler aqui) e o belo óleo quinhentista figurando o “Descanso na Fuga para o Egipto”.

O sol declina e partamos então, a pensar que almas sortudas são aquelas, que repousam na ponta do esporão no cemitério de Dornes, enfim um arrepio na espinha, pois talvez ossitos afeitos a humidade serão talvez carcomidos com mais presto. Deixando com renitência tão ideal refúgio de tranquilidade no meio da tempestade, porque não visitamos a igreja no seu interior, porque por fora o aspecto é modesto a expeção da interessante lápide gótica com um brasão. Miramos que isto é uma paisagem de água e que os montes xistosos que debruam a albufeira de Castelo de Bode são monótonos e sem agrado, envolvidos em verde pela monocultura do pinheiro bravo, ah e para arrelio nem um cafezinho tomámos!


Ver mapa maior

4 comentários Dornes (Ferreira do Zêzere)- Insólita torre templária na paisagem

  1. Armando Cotrim says:

    Obrigado pelo excelente trabalho de divulgação da minha terra.

  2. Dylan says:

    acabei agora de ver um programa da RTP sobre Ferreira do Zêzere e que falava de Dornes. “Viagem ao Centro da Terra”, é assim o seu nome. Já conheço a terra há muitos anos mas nunca lá fui pessoalmente. Está nos meus planos. Sei que vou adorar!

  3. Delfim Laranjo says:

    Estou a pensar que fui hoje dia 02.05.2014 a Dornes e que fiquei de boca aberta perante tanta beleza. Vim à net para saber mais e principalmente pormenores sobre a Torre medieval. Não obtive muita informação, mas ainda assim a suficiente. Tenho que lá voltar porque é um lugar que merece. Almocei num restaurante à saída da vila que recomendo. fui muito bem atendido e comi achegam frito que estava delicioso. Não sei o nome mas é o único segundo me disseram no Posto de Turismo.

  4. manuel says:

    Lamento que a torre templária de Dornes não possa fezer parte das minhas moradas medievais. E não pode porque, no século XVI, uns vândalos transformaram-na em edifício sineiro. Que pena!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>