Igreja de Nossa Senhora da Consolação (Dominicas) (Elvas) (*)

Sabia que…a igreja das Dominicas, em Elvas, se ergue no lugar de uma ermida dos Templários dedicada a Maria Madalena e que a sua invulgar forma octogonal nos faz lembrar a Charola da igreja do Convento Cristo em Tomar (*****)?
Esta pequena igrejinha que é uma pérola ignorada dos portugueses, nas traseiras da Sé de Elvas (**) fazia parte de um convento fundado em 1528, mas a construção da igreja propriamente dita decorreria entre 1543 e 1557.
Com a construção de uma nova capela-mor (*) na Sé de Elvas em 1599, parte do convento seria demolido. A extinção das ordens religiosas em 1834 accionou o seu desamparo, no entanto o convento só seria abandonado em 1870 com o desaparecimento da última freira. No inicio do século XX o convento é demolido, com a excepção da notável igreja. Em sua substituição foram construídos um cine-teatro, casas particulares e uma escola primária que ainda existe.
Desde logo viajante se depara com a estranheza da planta octogonal da igreja das Dominicas cujo exterior é caracterizado pelo pórtico renascentista e coroado por um zimbório que com 4 frestas forma um lanternim.
O interior da Igreja das Dominicas é muito belo
Mas o que torna notável esta igreja é o seu interior pela sua originalidade, verticalidade, belas proporções, sumptuosidade e pelo equilíbrio na sua decoração. Todo o interior do templo, mesmo o lanternim é revestido por lindíssimos azulejos de padrão datados de 1669, análogos ao da Sé de Elvas (**) onde se integra um painel com o emblema de São Domingos. No seu interior o zimbório divide-se em gomos, sustentados por oito esbeltas e altivas colunas cilíndricas de mármore, com capitéis toscanos e suportando uma arquitrave. Os altares são revestidos a talha dourada e ricamente decorados.

“As colunas, os arcos dos altares e a arquitrave são decoradas com pinturas de motivos de brutesco, fitas, grinaldas, uma representação do Cordeiro Místico, em profusão de policromia e douradura.
Embutidos em edículas estão os três altares, decorados com retábulos de talha dourada executados no final do século XVII, dedicados a São Domingos, São João Baptista e São Tomás de Aquino.
Um outro elemento interessante é sem dúvida a cúpula que cobre o altar-mor. Dividida em cinco gomos, é decorada com motivos escultóricos em estuque, característicos do Renascimento – um dos rótulos ostenta a data de 1552 – que vão dos grotescos aos putti , rótulos, cartelas, esfinges, aves estilizadas, elmos e escudos”1.

Igreja das Dominicas em Elvas

Na igreja da Nossa Senhora da Consolação em Elvas a ainda a destacar as telas que conservam no templo: uma representado um dominicano e outra atribuída ao pintor maneirista de Évora (*****) de nome Pedro Nunes, representando Santa Catarina de Siena. Também muito belo e original é o púlpito em ferro original, trabalhado com volutas, florões e barras retorcidas com filiação espanhola.
Defronte no largo fica o elegante pelourinho manuelino e o Arco de Tempre. O pelourinho poderá ser o que outrora se erguia em Ouguela (*). A sua base está assente num pedestal de cinco degraus. A sua coluna está decorada com semi-esferas, sendo ainda hoje visíveis os ferros de sujeição, possivelmente quinhentistas. O Arco de Tempre rompeu parte da primeira cintura árabe, nesta mesmo ao lado daquele arco ainda existe uma primitiva porta mourisca em ferradura.

[nggallery id=7]
Mas recolhemo-nos de novo ao interior da igreja das Dominicas e fiquemo-nos com a impressão da luminosidade captada por Raul Proença no nosso “Guia de Portugal” de 1924.
“Como só dois janelões e o pequeno lanternim iluminam o recinto, há aqui uma luz discreta que mais valoriza e enche de mistério o delicioso templo, que tem o mimo e o encanto de uma jóia oriental”.
Horário |10:00 – 13:00 / 15:00 – 18:30 | encerra às segundas-feiras e terças de manhã
Onde dormir: Quinta de Santo António
Onde comer: O Golo

Notas informativas 1: Texto retirado no site do Igespar

Please follow and like us:

Artigos Relacionados

2 comentários Igreja de Nossa Senhora da Consolação (Dominicas) (Elvas) (*)

  1. Anabela Sobral says:

    Devo ter tido muito azar! Estive em Elvas no dia 31 de Julho, 1,2 e 3 de Agosto e não consegui sequer ver aberta a hora alguma a igreja das Dominicas. Bem gostaria de a ter visto, e a outros monumentos pois fui a ELVAS de prpósito para conhecer a cidade.

  2. João Morgado says:

    Estive no dia 16 de Fevereiro em Elvas e pelas 15:50 visitei a Igreja das Domínicas, não me tendo sido possível subir à torre por o acesso já estar fechado. Ao sair, pelas 16 horas, o senhor que estava de guarda fechou a porta da igreja. Fico desapontado ao ver acima o horário que diz que encerra às 18:30, o que me leva a pensar que o dito senhor fecha quando muito bem lhe apetece e se está burrifando para os turistas que visitam Elvas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>