Parque Urbano do rio Ceira com a ponte Joanina em Góis (*)-O rio como cenário

O rio Ceira é o principal atractivo turístico do concelho de Góis, porque ainda mantém água impoluta, paisagens idílicas e corredores ripícolas com elevada biodiversidade. Os três locais notáveis associados ao rio Ceira são respectivamente de montante para jusante: a paisagem e os lagares na Cabreira (*), este troço do rio na Vila de Góis e ainda magnífica garganta epigénica do Cerro da Nossa Senhora da Candosa (*) em Vila Nova de Ceira.
Outros pontos de interesse são as várias as praias fluviais ligadas ao rio Ceira, como são exemplo a praia das Canaveias ou a praia fluvial do Colmeal.
Mas vamos então concentremo-nos no troço do rio Ceira na vila de Góis que confere a vila uma beleza plácida, no fundo dos morros do Rabadão e Carvalhal.

Assim de Sul para Norte a vila o rio Ceira permite a existência da sombreada praia fluvial do Pego Escuro, segue-se a luminosa, praia fluvial da Peneda que no Verão se enche de banhistas, suportada por um café esplanada.
Segue-se a cenográfica Ponte Real de três arcos com o arco maior central, mandada construir pelo rei D. João III em 1553. No arco do meio está o escudo nacional, ladeado por cruzes de Cristo e encimando por esferas armilares. Associa-se à ponte a Capela barroca do Mártir S. Sebastião do séc. XVIII.

Mais a jusante, o Parque de merendas do Cerejal com árvores sombreiam as mesas de merendas que favorecem o namoro e a meditação. Temos ainda grelhadores, um coreto e um campo de futebol de cinco.
E repiso na beleza que representa para nós esta alameda de plátanos dourados, que no Outono alimentam um tapete amarelo-avermelhado que se cola aos pés. As estações mudam e este Outono é reflexo disto, porque a mudança exige destemperança: “o amor por todas as coisas muda como as folhas das árvores no Outono.
E, se eu for capaz de entender isto, serei capaz de amar.”
(Emily Brönte)
E sempre o som e os aromas associados a água…
A partir da escola básica 2,3 o rio Ceira alarga-se numa fértil várzea que se amplia cada vez mais.
Enfim um local que nos diz muito porque aqui fomos felizes e infelizes, estivemos em tensão e em paz interior mas como diz o Padre António Vieira “a mais fiel de todas as companheiras da alma é a esperança”.
Mas a presença da água, aqui plasmada no rio Ceira em Góis, sempre nos há-de salvar, também não é esta a sua função?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>