Ponte de Mirandela (*)- Ex-libris da cidade

Ponte de Mirandela

Não são apenas as alheiras que abonam Mirandela, porque a sua ponte velha que aqui transpõe o rio Tua, também merece o nosso apreço, pela sua estética, extensão e monumentalidade.
Relembro o leitor que as alheias de Mirandela foram consideradas uma das sete maravilhas gastronómicas de Portugal (ler aqui a sua lista).
A ponte de Mirandela é também conhecida por Ponte Velha teve uso rodoviário até à década de setenta do século passado, tendo então sido construída uma nova ponte, que a substituiu, situada a algumas centenas de metros a montante. Terá sido edificada no século XVI, tendo sofrido várias intervenções e reconstruções ao longo dos tempos.
Há notícia de no mesmo local ter sido edificada em princípios no século XV uma outra ponte, mas terá sido no reinado de D. Manuel I que se iniciou a construção do atual imóvel então com vinte arcos.
Em 1536 já se encontrava erigida. É possível que já existisse aqui uma ponte de Mirandela construída pelos romanos ou pelo menos desde a idade média como se constata pelas marcas dos canteiros nos arcos originais.

Em 1726, altura pela qual se deve ter iniciado um projeto de reparação da ponte, existiam no seu centro dois nichos, sendo um dedicado a Nossa Senhora e o outro invocação do Senhor dos Aflitos, representada numa cruz de dois metros com Jesus Cristo crucificado. Estes terão sido desmontados em meados da centúria seguinte.
Apenas uma sugestão, que tal serem repostos os dois nichos, mas de adaptação livre, com as únicas premissas a serem que se respeitasse a fé e fossem uma inquestionável obra de arte?
Atualmente são visíveis na ponte de Mirandela dezassete arcos. Esta é uma ponte em cantaria de granito que tem 238,5m de comprimento, sendo suportada pelos acima referidos dezassete arcos, em que os oito primeiros da margem esquerda têm o maior vão, sendo quatro quebrados, apresentando-se de ambos os lados os pegões reforçados com talhamares de perfil triangular. Os restantes nove arcos situados na margem direita, apesar de mais pequenos, também possuem talhamares triangulares a montante e a jusante.
O seu tabuleiro é plano, originalmente lajeado a granito, sendo no entanto variável a sua dimensão entre guardas, que se situa entre os 4,8m e os 5,3m. Atualmente é delimitada por guardas de ferro, mas que se sabe terem sido em cantaria de granito com cerca de 0,5m de espessura, fechadas em cerca de 116m e abertas na restante extensão.
Presentemente tem uso pedonal, encontrando-se integrada e servindo de acesso aos arranjos ribeirinhos de enquadramento paisagístico da cidade, sendo por isso um dos símbolos de Mirandela.

Para além da ponte de Mirandela, das margens ajardinadas também deve visitar nesta cidade os antigos Paços dos Távoras, edifício nobre datado do século XVII, e é hoje a Câmara Municipal. Na sua bonita fachada sobressaem as portas e janelas de cantaria. No tímpano culminante do segundo andar achava-se o brasão dos Távoras demolido em 1759 por ordem do Marquês de Pombal e trocado pelo dos Condes de São Vicente.
Nota informativa adaptada do do Sistmir de Mirandela, que é um projeto que Sistema de Gestão do Património para o Concelho de Mirandela (SISTMIR) é um projeto que objetiva produzir conhecimento do Património Histórico e Cultural do Concelho, no sentido de fornecer ferramentas de gestão para o planeamento e ordenamento sustentável do Território, contribuindo assim para o seu desenvolvimento e atracão.
(ver aqui link)

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>