Miradouro do Santuário de Nossa Senhora da Assunção em Vilas Boas (Vila Flor) (*)

Miradouro do Santuário de Nossa Senhora da Assunção em Vilas Boas (Vila Flor) (*)

Santuário da Nossa Senhora da Assunção

Santuário da Nossa Senhora da Assunção em vilas Boas, é focado nos “Caminhos da História” do Joel Cleto, o nosso José Hermano Saraiva nortenho no programa sobre. Este santuário faz parte de um dos 62 locais notáveis do distrito de Bragança.

O Santuário da Nossa Senhora da Assunção é  o maior e um dos mais importantes santuários Marianos de Trás-os-Montes. Erguido no século XIX no alto de um monte que domina toda a paisagem envolvente, representa um dos pontos mais altos do concelho, com cerca de 760 metros de altitude.  A sua história é milenar visto ter existido um povoado fortificado da idade do Ferro neste magnífico monte. Possui uma igreja de nave única e capela-mor retangulares, várias capelinhas espalhadas pelo recinto e um monumental escadório, tudo envolto em imensos tufos de floresta”.-Santuários e Miradouros do Concelho – Município de Vila Flor

Breve resenha Histórica do Santuário da Nossa Senhora da Assunção

Sabe-se que no monte onde está o Santuário da Nossa Senhora da Assunção existiu um povoado fortificado da segunda idade do ferro de acordo com os seguintes factos: localização topograficamente destacada, vestígios de muralha (apesar de as notícias de tal facto serem inseguras), amplo domínio visual sobre a região com controlo estratégico da fertilidade dos terrenos em redor e das vias naturais por onde transitavam pessoas e mercadorias. Infelizmente todo o cabeço necessita da investigação arqueológica. O povoado pode remontar a idade do Bronze. A construção do santuário ao longo dos últimos 400 anos e o muito afluxo gentes romeiras e turísticas podem ter destruído para sempre vestígios arqueológicos importantes.

Foram ainda descobertas duas belíssimas peças de arqueologia artística e/ou religiosa no Santuário da Nossa Senhora da Assunção

-Na resplandecente Sala do Tesouro do Museu Nacional de Arte Antiga em Lisboa guarda, entre outras relíquias, o magnífico torque de Vilas Boas, de idade entre o século I e o III a.C.- Leia aqui um artigo científico sobre o mesmo.

A sua descoberta ocorreu em 1965 na vertente sul do Santuário da Nossa Senhora da Assunção; aconselho vivamente a todos as pessoas de Vila Flôr a visitar o seu Torque em Lisboa, porque é uma das belas peças de ourivesaria europeia da idade do Ferro.

ThumbnailDownloader

-Para além do torque foi descoberto em 1967 um grande berrão em granito e que hoje se encontra no museu Municipal de Vila Flor (leia aqui no excelente descobrir Vilar Flôr), toda a notícia. Está esculpido em granito de grão médio e alguns grandes cristais de feldspato. Mede 1,5 metros de comprimento e tem uma altura máxima de 1,3 metros.

Pode ler mais alguns pormenores de Berrões aqui nos seguintes artigos no Portugal Notável:

-Aldeia Histórica de Castelo Mendo (Almeida) (**)

-Santo André das Arribas (Figueira de Castelo Rodrigo) (*)

-Pelourinho de Torre de Dona Chama (Mirandela) (*)

-Pelourinho de Bragança (*)VilaFlor601

É sempre um prazer enorme para os sentidos e para a obtenção de paz de espírito, o viajante informado embrenhar-se no distrito de Bragança. O Santuário da Nossa Senhora da Assunção, é um destes locais, se é religioso saiba que este é o mais importante santuário mariano transmontano; mas s enão é basta ver o magnífico panorama e ficará embevecido.

Peço então o favor que me siga e que observe do miradouro esta imensa crista quartzítica, que vai ondeando aqui e ali ao sabor das iras tectónicas. Do Santuário da Nossa Senhora da Assunção avista-se uma rara e vasta paisagem, cobrindo as serras de Montesinho, Bornes, Mirandela e as vilas e aldeias vizinhas num raio de dezenas de km. Enfim uma boa parte desta selvática e pura região, que os políticos teimam em desmembrar (por exemplo com a construção das barragens do vale do rio Tua e do rio Sabor).

O Santuário da Nossa Senhora da Assunção foi erguido no século XIX devido ao aparecimento da virgem Maria, que enfim coitadinha,  desgostosa, pretende a que os ruins dos humanos se encarrilem no bom caminho, mas os tempos foram, são e serão tenebrosos, porque esta raça de Homem guerrilheiro pouco é mutável; desculpai a delonga sempre vulgar, mas também verdadeira. Voltemos então a incansável Senhora que por aqui também andou e não julguem, os de Fátima que têm o exclusivo, pois tão fabulosas histórias relacionadas com a Deusa (esta palavra não surge aqui por mero capricho de escrita) têm surgido um pouco por todo o lado na boa terra portuguesa; eis mais uma narrada no site do próprio Santuário de Nossa Senhora da Assunção.

“O dia 4 de Setembro de 1673, bem como 7 e 8 do mesmo mês e ano, são datas que traçam o rumo deste famoso lugar dedicado a Virgem Santa Maria. Antes das aparições à menina Maria, o Santuário estava reduzido a uma pequena capela, abandonada, onde no Verão os gados se recolhiam. Tal como noutros lugares de devoção mariana, também neste lugar, uma menina foi a feliz ligação entre a mãe divina e os homens que se tinham esquecido da sua casa lá bem no cimo da montanha sagrada. Nossa Senhora por três vezes como atrás foi referido, em lugares distintos, fonte do Ribeiral, eira Monteira e Lugar do Cruzeirinho, apareceu à mensageira Maria, dando-lhe a seguinte missão: vai e diz aos habitantes de Vilas Boas que estou descontente com a sua vivência na fé e o estado a que deixaram chegar a minha casa. Eles que façam jejum e tratem da minha casa. A partir das aparições, o templo foi reerguido, a fé aumentou e os milagres multiplicaram-se, o Santuário passou a ser local de romagem e de grande devoção mariana. Bem se pode dizer que a aparição foi o primeiro grande momento deste belo lugar que se há-de transformar no mais importante Santuário Mariano da Província Transmontana”. http://santuario-assuncao.pt/

De 1712 a 1843, como narra Pinho Leal, em Portugal Antigo e Moderno, o Santuário da Nossa Senhora da Assunção reduzia-se apenas a uma pequena capela, composta de altar-mor, dois laterais, um campanário e uma sineta. Podemos considerar este período de tempo como de estagnação do Santuário.

A partir de 1843 e até à última década do séc. XIX, viveu-se o segundo grande momento na edificação deste lugar. Neste período, fizeram-se as grandes construções do santuário Pode-se afirmar, sem qualquer dúvida, que a segunda metade do séc. XIX, é o momento estrutural do Santuário. Aquilo que hoje representa a sua marca arquitetónica foi erguido entre 1843 e 1893.

Os progressos continuaram durante todo o século XX. Lendas populares referem para este lugar diversas aparições da Virgem Maria e mesmo a lenda dum carro de bois portador da imagem divina, que teimou em subir ao Cabeço.

No Santuário da Nossa Senhora da Assunção celebram-se anualmente três festividades cíclicas: a Solenidade da Ascensão do Senhor (Maio), a Festa Grande de Nossa Senhora (15 de Agosto) e a Festa de Santa Eufémia (Setembro). A segunda é a mais importante.

Se todos os caminhos do mundo vão dar a Roma e os da Europa a São Tiago, todos os caminhos de Trás-os-Montes vão dar ao Santuário de Nossa Senhora da Assunção. Estamos assim perante um local dotado de um grande significado sagrado desde há vários séculos agregador das comunidades regionais.

Referências adicionais:

-Santuário de Nossa Senhora da Assunção.

-http://descobrir-vilaflor.blogspot.pt/2007/06/museu-o-berro.html

– http://portugalfotografiaaerea.blogspot.pt/2013/12/santuario-de-nossa-senhora-da-assuncao.html

-http://anuariobrigantino.betanzos.net/AB2011PDF/2011%20073_092_torques%20Vilas%20Boas_LOIS%20LADRA.pdf de Xosé Lois Ladra Fernández

Artigos Relacionados

Um comentário Miradouro do Santuário de Nossa Senhora da Assunção em Vilas Boas (Vila Flor) (*)

  1. Rita says:

    Parabéns pelo site sr. Castela. Gosto muito do novo visual!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>