Santuário Megalítico de Odrinhas (Menires da Barreira) (Sintra) (*)

Santuário Megalítico de Odrinhas (Menires da Barreira) (Sintra) (*)

O concelho de Sintra tem um aliciante espólio arqueológico e quanto dele já não terá sido soterrado pelas modernas urbanizações?
Um exemplo é este conjunto de menires situado no Monte das Barreiras (também conhecido por Castelo das Pedras), próximo do museu e complexo Arqueológico de Odrinhas (*).
No alto de uma colina, no meio do arvoredo, na qual se avista largo território, com o Oceano Atlântico, a serra de Sintra, as colinas suaves e boleadas da região saloia até as torres sineiras do convento de Mafra, encontra-se este conjunto megalítico, constituído por vários menires, de formas e tamanhos variados, distribuídos irregularmente. Este assumiria de certeza um protagonismo focal extremamente significativo. Em termos tipológico nada se assemelha na região, com a eventual exceção do recinto megalítico de Caneças (Loures).menir da Barreira-Sintra
Nota-se que estamos em presença de um afloramento natural de rochas carbonatadas do Jurássico Superior (estamos muito próximos da famosa Pedra de Lioz, que construíram quase todos os monumentos de da região de Lisboa) e que muitos menires são apenas rochas em afloramento afeiçoadas pela erosão, mas em que outras o ser humano teve papel preeminente para reaproveitar estes monólitos naturais. Alguns encontram-se desligados do afloramento o que implica atividade humana uma vez que se encontram eretos. Os menires assim implantados tem formas ovoides e achatadas e distribuem-se irregularmente. O conjunto aparentemente caótico pode ter alguma racionalidade com espaços regularizados intencionalmente, podendo formar assim um cromeleque, alguns menires parecem ter covinhas (“fossetes”).

Menires de Odrinhas
Tenho a informação que um Obelix moderno e inculto arrancou e transportou dois dos menires (o mais alto e o que se encontrava tombado) implantando-os em frente a sua moradia, sendo hoje visíveis da estrada que conduz de Sintra a São João das Lampas. Trata-se mais uma vez da artificialização litolátrica de um local, desta vez não foram necessários centenas de homens para arrastarem o monólito mas sim uma geringonça. Alguém me sabe dizer onde se encontram estes menires removidos?
Todo este santuário megalítico mereceria por parte dos nossos governantes um estudo atento e que nem sairia muito oneroso, apesar de a sua reconstituição inicial ser assaz difícil e também sabendo que na área de um cromeleque  na envolvência de menires quase nunca se encontra espólio arqueológico significativo o que deixa antever uma zona interdita. Daqui resultaria um contributo para a ciência e seria uma forma eficaz de colocar alguns turistas a visitarem o setor norte do concelho de Sintra.

Santuário Megalítico Odrinhas
Os menires surgiram a partir da invenção da agricultura e da domesticação de animais, é provavelmente um símbolo masculino, relacionado com o culto da fertilidade das comunidade megalíticas, tanto associado a idolatria astral e de calendarização, como no que respeita a salvaguarda reprodutiva dos seres vivos, seres humanos e suas atividades agrícolas.
O lugar qualificado pelo cromeleque é um santuário, cabe assim designar este local como o Santuário Megalítico de Odrinhas.
Este conjunto foi decretado Imóvel de Interesse Público em 1993. Se conheces o Santuário Megalítico de Odrinhas porque não partilhas a tua experiência com informações, sentimentos e fotografias?

Informações adicionais do site da DGPC

Artigos Relacionados

Um comentário Santuário Megalítico de Odrinhas (Menires da Barreira) (Sintra) (*)

  1. Ricardo says:

    Ao autor, escreve que estarão em falta monólitos, então pode participar às autoridades. Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>