Tectos pintados dos Paços do Concelho de Góis (*)-tetos únicos da renascença em Portugal

O edifício que actualmente alberga os Paços do Concelho de Góis é uma das casas nobres edificadas no século XVII e tem de notável os seus tectos apainelados ricamente pintados a moda da renascença classificados como Imóvel de Interesse Público.
O edifício também conhecido como Casa da Quinta era pertença da família Barreto Chichorro, uma das mais importantes da vila no século XVII, instituidora de uma capela na matriz onde repousam alguns dos membros desta importante família. Nesta mesma igreja está o notável túmulo da renascença de Luís da Silveira (*).

De estrutura simples, depurada, os paços do concelho apresentam-se divididos em dois andares, com fachada marcada pela simetria das janelas. Todo o conjunto tem carácter e destaca-se no casario da vila de Góis.
Temos ainda de referir a existência de duas elegantes colunas, uma de ordem toscana e outra de ordem jónica, cujos fustes tem grande qualidade.
Os notáveis tectos pintados do concelho de Góis são singulares
Se a decoração exterior do edifício é pautada pela sobriedade, no interior destacam-se os notáveis tectos pintados em castanho de autor desconhecido, possivelmente elaborados na primeira metade do século XVII de grande qualidade pictórica, formal e estilística.

Seis dos salões da casa têm tectos apainelados: a sala do gabinete da presidência da câmara com diversas cenas do antigo testamento (não visitamos), o salão nobre com motivos vegetalistas (o salão nobre) e outros mais interessantes com simbologia renascentista (pássaros, máscaras grotescas, macacos, motivos vegetalistas, figuras humanas…). Os tectos são policromados com belas cores (realçadas com o arranjo recente) em composições pautadas pela simetria. Todo o conjunto remete-nos para algum tropicalismo. Os ricos tectos apainelados em madeira, com a sua simbologia renascentista bem datada da primeira metade, são um raro exemplar desta tipologia artística em Portugal. Uma coisa é ler outra é ver com os seus próprios olhos esta obra de arte São um sobressalto bom para o turista que procura Góis pelas suas praias fluviais. Infelizmente os tetos apenas estão visitáveis, segundo disponibilidade das salas e com marcação prévia no Posto de Turismo de Góis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>